Encontrar empresa por:

Ícone TítuloColunas

Compartilhe:

Como tomar decisões



Mesmo as maiores mentes têm medo quando perdem. O prêmio Nobel Richard Feynman, que ajudou no desenvolvimento da bomba atômica, contribuiu com avanços substanciais para a mecânica quântica e da física de partículas, descobriu a causa do desastre do ônibus espacial Challenger e popularizou a ciência como um autor inteligente e bem-sucedido, enfrentou esse medo quando confrontado com um menu de comida. Quantos pratos diferentes que ele deveria solicitar em um menu antes de se decidir sobre um favorito? Feynman utilizou a teoria das probabilidades para resolver o problema. Abaixo apresento a fórmula que ele desenvolveu com Ralph Leighton:

O número de pratos para tentar = √ 2 (refeições restantes no restaurante 1) - 1

O medo de perder é uma força paralisante. Ele ainda aflige gênios da matemática, para nosso consolo. Tendo calculado o número de pratos para tentar, Feynman poderia descansar a sua mente à vontade, sabendo que com toda a probabilidade, ele comeria o melhor prato do menu.

Com a panóplia (conjunto de coisas da mesma espécie) de opções diante de nós como fundadores, investidores, gerentes e empregados, o medo de perder reuniões importantes, conferências, iniciativas de marketing, candidatos de emprego, oportunidades de investimento é galopante. Há sempre mais uma reunião para participar, mais uma pessoa para atender, mais uma opção a considerar.

Dentro desse último encontro, buscamos segurança e validação de que a escolha que fizemos é o caminho certo. Mas, o subproduto da busca incessante do "melhor" pode ser a debilitação. O medo de perder, dispersa nossa atenção, minando o foco que, muitas vezes, é tão necessário para o sucesso.

Feynman reprimiu seus medos com probabilidade. A maioria de nós não se aproximará dos problemas com o mesmo rigor. Mas, todos nós estamos buscando a mesma paz de espírito.

Queremos a liberdade de confiar em nossas decisões e intuição. Eu acho que se trata de aceitar que, como está escrito nas páginas do Facebook, feito é melhor do que perfeito. É mais importante para seguir em frente começar com uma boa decisão, do que otimizar para a melhor decisão. O bom é inimigo do ótimo.

Eu não preciso de um menu, obrigado. Eu vou ter o espaguete, com molho de tomate e almôndegas.

Aproveite e veja o vídeo abaixo, pois tomar decisões é não se arrepender.



A opinião apresentada neste artigo é de responsabilidade de seu autor e não da ABES – Associação Brasileira das Empresas de Software.