João Paulo Carvalho, fundador e sócio da Quidgest; Maria Martins, VP Operations Quidgest Brazil; e Carlos Sacco, Head Commercial.

A multinacional de origem portuguesa, Quidgest, pioneira na geração automática de software, deu um novo passo em sua entrada no mercado brasileiro, com a contratação do empreendedor e estrategista de negócios internacionais, Carlos Sacco, que assumiu a função de Head Commercial da empresa no Brasil. Para falar sobre sua estratégia de internacionalização e os planos da empresa para a região, o Portal da ABES entrevistou Maria Martins, VP Operations Quidgest Brazil. A executiva informa que atender as demandas criadas pela Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) será uma das prioridades neste momento e que a empresa tem uma carteira bastante diversificada de clientes, entre eles a Deutsche Telecom; os Governos da Jamaica, de Timor-Leste, Moçambique e Cabo-Verde; e a 4ª maior Hidroelétrica africana, Cahora Bassa. Acompanhe o nosso bate-papo!

– Quando a Quidgest começou a atuar no Brasil?
A Quidgest começou a sua aproximação com o mercado brasileiro em finais de 2018. Após um período de criação da nossa estratégia go-to-market, com suporte direto do nosso braço direito, o Carlos Sacco, começamos por estabelecer parcerias estratégicas locais e regionais. Fechamos os primeiros projetos no final de 2019 e acreditamos que, em 2020, teremos um ano de bastante sucesso.

– Quais os fatores que atraíram a empresa para o mercado brasileiro?
A Quidgest tem conquistado nos últimos anos, com projetos financiados pelo PNUD (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento) e pelo Banco Interamericano, um número considerável de clientes no mercado latino-americano. Desta forma, para garantir a expansão do nosso posicionamento, atingindo também o Mercosul, procuramos um país com considerável posicionamento estratégico na região. O Brasil foi, nesse sentido, uma escolha incontestável, principalmente depois das alterações significativas no enquadramento político do país. O novo fôlego do Acordo EU-Mercosul veio consolidar essa decisão.

Ao mesmo tempo, com a aprovação da Lei Geral de Proteção de Dados, inspirada pelo Regulamento Geral de Proteção de Dados na União Europeia, consideramos o mercado nacional brasileiro como estratégico para a internacionalização das nossas soluções de Proteção de Dados, pioneiras em responder ao mesmo desafio no espaço europeu. Sentimos que as empresas brasileiras estão se virando para o mercado europeu na procura de soluções, em vez de seguirem o modelo norte-americano.

– Qual é a estratégia de canais de vendas e parcerias da empresa no Brasil?
Sabemos que nenhuma empresa, por si só, independentemente da sua dimensão, reputação ou serviço, consegue responder com eficácia a todos os desafios dos seus clientes, principalmente quando estes estão enquadrados em realidades distintas. Por isso, o modelo de internacionalização da Quidgest passou sempre pelo estabelecimento de parcerias locais estratégicas com empresas que entendem detalhadamente os desafios locais. No Brasil, este modelo também foi seguido.

Começamos pelo estabelecimento de parcerias com empresas que complementam a nossa atuação em setores-chave do mercado e que tenham um profundo conhecimento dos desafios presentes nestes setores. Por meio destes parceiros, fomos capazes de adaptar as nossas soluções às especificidades de cada setor (a famosa “tropicalização”) e chegar aos clientes com uma ferramenta pronta para ser usada.

– Qual o papel de Carlos Sacco na estratégia de internacionalização da Quidgest?
Quando iniciamos estes estudos, procuramos alguém que pudesse ser um “mentor”, alguém com um profundo conhecimento do mercado e com uma visão holística estratégica, responsável pela identificação dos parceiros, mapeamento de oportunidades e suporte à estratégia go-to-market da Quidgest. Encontramos este perfil no Carlos Sacco, que reúne não só um vasto conhecimento do mercado tecnológico, mas também experiência na implementação de estratégias go-to-market. Pela sua contribuição e visão, o Carlos se tornou o nosso braço-direito em nível nacional e foi contratado como nosso Head Commercial no Brasil.

Para garantir que as nossas soluções são competitivas, o estabelecimento de um canal de distribuição é crucial. Estamos, por isso, fechando parcerias com empresas que ficarão responsáveis pelas nossas vendas nacionalmente e pela implementação das nossas soluções, além de representantes comerciais (agente de vendas no Brasil), responsáveis pela promoção das nossas soluções a potenciais clientes, divididos normalmente por especialização de mercado (áreas de negócio).

– Qual a solução da empresa focada na proteção de dados pessoais e os diferenciais deste software?
A Quidgest é pioneira em responder aos ditames da Proteção de Dados em nível internacional. Desde 2016, contamos com uma equipe certificada e uma das ferramentas mais completas do mercado para preparar as organizações para ficarem em conformidade com padrões internacionais, especialmente o Regulamento Geral de Proteção de Dados, que inspirou a LGPD brasileira.

A nossa solução, chamada GPD (sigla para Gestão de Proteção de Dados), é mais conhecida como o “ERP da Proteção de Dados”. Ela tem ajudado empresas de vários setores a estarem em conformidade com a Lei, garantido uma gestão eficiente e automatizada dos pedidos dos titulares de dados, sendo uma solução consolidada e gerida por uma equipe de especialistas certificados que ajudam os nossos clientes a implementar as melhores práticas do mercado.

É uma solução completa: gere e automatiza todos os processos para a conformidade (mapeamento, avaliação de impacto, plano de recomendações, etc.), mas vai mais além: ajuda as equipes, com um método passo-a-passo, desmistificando o que é, afinal, a proteção de dados e como ela deve ser gerida, na prática, no dia-a-dia.

Garante também o monitoramento diário, a gestão eficaz de incidentes, relatórios automáticos em caso de auditorias, e todo o ciclo de vida de dados pessoais armazenados e geridos pelas organizações. Automatizando esses processos, é possível otimizar recursos internos e responder em tempo real a potenciais riscos, sejam eles monetários ou reputacionais.

– Quais são os objetivos de mercado da empresa para os próximos anos?
Queremos nos tornar uma referência no tema em nível nacional e ajudar as empresas brasileiras a implementarem proteção de dados com eficácia. Queremos também expandir o nosso portfólio de soluções, apostando em soluções inovadoras que impulsionem a transformação digital das empresas brasileiras, o nosso business core há mais de 30 anos.

Sobre o portfólio de produtos Quidgest

Para além da proteção de dados, a Quidgest traz para o Brasil a sua solução integrada de gestão de frotas, ferramenta que reúne a gestão operacional e preventiva e a telemetria num único sistema; um ferramenta de gestão da qualidade, que garante a automação de qualquer tipo de certificação; e as soluções de gestão estratégica de recursos humanos, que segue o lema People Before Technology (o uso da tecnologia para personificar experiências, cativar e automatizar processos de gestão para que as equipes de RH tenham tempo para serem verdadeiramente estratégicos). A empresa planeja também trazer o seu portfólio de soluções para o setor público, a fim de contribuir ativamente para a estratégia de Governo Digital do país, que inclui programas para a Gestão Integrada de Obras Públicas; a Desmaterialização de Processos; o  Balcão Único 360º – Single Window, que permite a centralização de serviços para o cidadão; e os Observatórios Digitais (coleta, tratamento e visualização de indicadores públicos).

acesso rápido

pt_BRPT
pt_BRPT en_USEN